sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Um pedido de desculpas por uma recomendação

Há alguns dias recomendei o serviço oferecido pelo site www.obomverdureiro.com.br, antes de testar o serviço. Achei a promessa deles bárbara, mas infelizmente o atendimento não foi digno do proposto.

A primeira compra não chegou no prazo combinado porque eles "Esqueceram" do meu pedido. Solucionado o caso, me enviaram a encomenda com três dias de atraso. Fiz um pedido e ele chegou de acordo e com fartura, mas alguns itens não estavam muito bons, como as maçãs e cenouras. Além disso, não houve cuidado na hora de manusear os ovos e eles foram transportados em um caixa por baixo das frutas e legumes que encomendei. Resultado: de uma dúzia pedida apenas dez foram recebidos inteiros.

A pedido da equipe do bom verdureiro fiz um feedback sobre a compra e não recebi qualquer retorno. Mesmo assim decidi insistir na compra e fiz um segundo pedido e pela segunda vez além de não localizarem o meu pedido (tenho todas as trocas de email e confirmação de que haviam recebido a solicitação na segunda-feira)não me entregaram a encomenda nem na data certa, proposta por eles mesmos, nem na segunda data combinada.
Realmente lamento o atendimento que recebi e me arrependo de ter indicado para amigos e leitores do meu blog o serviço.

Portanto, se vocês compraram o pensaram em comprar, pensem duas vezes antes de contratar o serviço.

O resultado de ficar longe

Fonte: mamyemdosedupla.blogspot.com
Pode ser que seja paranoia minha essa coisa de mudar a rotina, mas durante o dia de ontem monitorei pelo telefone como Benjamin passou seu primeiro dia, em horário comercial, longe da mamãe e tudo correu bem. Cheguei em casa por volta das 18h30 com os peito cheio de leite uma saudade imensa do meu príncipe.

Ele estava dormindo e logo que acordou mamou. Até aí tudo parecia normal. Prossegui com a rotina dele habitual e depois de algumas horas fomos para o procedimento banho-por pijama-mamadeira-peito-dormir.
Aí que a casa caiu.

Mesmo sem mamar mamadeira desde as 14h o pequeno não quis saber da bocharrenta. Era só peito, peito, peito e gritos aos ver a mamadeira. Com muito esforço consegui fazê-lo tomar 90ml de LA. Isso dava o tom do que seria nossa madrugada.

Às 2h30 Benjamin acordou e quando ofereci a mamadeira, antes do peito, adivinhem? Ele gritou, de novo. Gritou, chorou, se jogou pra trás, um verdadeiro escândalo. Acalmou um pouco quando ofereci o peito, mas mesmo assim ele mamava alguns segundos e chorava. Pra ajudar, o nariz estava bem entupido. Provavelmente consequência do resfriado que a babá teve e que passou pra ele. Pingamos soro no nariz para ver se ele melhorava e voltei a oferecer peito e mamadeira. Ele não queria nada. Olhava pra mim e chorava e se aninhava e se jogava pra trás. Ou estava muito incomodado com algo misterioso (não era frio ou calor, não era fralda suja) ou realmente estava demonstrando que estava sentindo falta da mamãe.

Lá pelas tantas decidi embrulhá-lo no cueiro e tentar fazê-lo dormir, mesmo suspeitando que ele estivesse com fome (o  que a gente faz com um bebê que tem fome e não quer mamar?). Demorou, mas ele dormiu no meu colo. Tentei colocar no berço e o escândalo foi imediato. Voltou pro colo. Perdi a batalha do berço pro meu cansaço e dormi abraçada com ele na poltrona de amamentação.Conseguimos cochilar algumas horas, com ele bastante agitado e na hora que o despertador tocou, levantei e coloquei ele na minha cama. O bichinho acordou imediatamente.

Hoje vamos para o segundo dia longe em horário comercial. Resta saber o que será da nossa próxima madrugada.

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Ficar longe dói

Hoje, pela primeira vez passarei o dia todo longe do filhote. Para todo mundo que volta a trabalhar em seus empregos formais depois de 4 ou 5 meses de licença maternidade é uma situação cotidiana. Para mim, são "apenas" dois dias de evento, mas estão deixando meu coração apertado e minha cabeça com peso na consciência de deixar o pequeno em casa.

Fico imaginando como deve ser na cabeça dele, que está acostumado com a presença da mamãe o dia todo, ficar sem mim. Mais angustiante que isso é eu ficar sem ele. Os seios ficam cheios de leite, dá vontade de ligar a cada 5 minutos para saber se está tudo bem e uma vontade doida de dar um cheiro e um agarro no menino mais lindo que eu já vi.

Fica uma sensação de que estou perdendo alguma coisa. Algum sorriso, alguma careta, algum momento de desconforto dele que eu posso ajudar a resolver, alguma novidade. Com os bebês tudo acontece muito rápido. O que será que já aconteceu nessas horas que estou fora de casa?

Ao mesmo tempo fica uma sensação boa de liberdade, de realização profissional, de ser "eu mesma" sozinha. E para ele, acredito que começa um aprendizado de independência e autonomia em relação aos pequenos fatos da vida.
Fonte: Google

terça-feira, 28 de agosto de 2012

6 meses!


Hoje você faz 6 meses, filho. Nunca um semestre passou tão rápido e foi tão intenso quanto este último. Você é um menino risonho, amado e feliz, como eu sempre sonhei e desejei. Hoje, filho, completamos seis meses de amamentação, um dos meus maiores desafios.

Hoje marca a sua evolução no que se refere a introdução de novos alimentos. Desde que começamos a te apresentar novos sabores passamos por laranja lima, cenoura, melão e banana. A cada dia você aceita melhor os alimentos, sem deixar de fazer, é claro, suas caretas.Você rola de um lado para o outro e está quase sentando sem apoio. Consegue ficar bons períodos sentado sozinho, mas ainda se cansa e tomba, sem querer.
Foto de Rodrigo Assad


Está apaixonado pela Margarida. Segue ela com os olhos o dia todo e tem uma certa paranoia em pegá-la. Fico imaginando como será quando você engatinhar.Coitada da gata.

Daqui apenas seis meses você terá completado um ano! Parece que o tempo está passando rápido demais e meu amor aumentando na velocidade da luz. Onde será que esse amor vai parar? Veremos, se a mamãe não explodirá de amor algum dia desses.

Parabéns, filho!

P.S.: O dia foi muito corrido hoje e por isso não tiramos foto. Então vai aqui uma imagem que a mamãe ama, feita pelo Tio Rodrigo no dia do aniversário do seu amigo Gabi, quando você tinha 5 meses e algumas semanas.

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O primeiro suco a gente nunca esquece!

Aí que Benjamin entrou no mundo dos suquinhos e o primeiro deles, como já contei aqui, foi o de laranja lima.

Aqui está um breve vídeo da cara de prazer e indulgência (só que não) de Benjamin ao tomar seu primeiro gole de suco no dia 19 de agosto. #todasgrita!

video

Estamos no 5º dia consecutivo de suco e não é que a cara dele para a frutinha tenha melhorado muito não. Arduamente conseguimos que ele tomasse 40ml do suco ontem! Uma vitória!

Pensei em mudar o sabor do suco para ver se ele se anima mais. Alguém tem dicas? Experiências para compartilhar? Como a gente sabe que ele não gosta de alguma coisa ou que está apenas "treinando"?






terça-feira, 21 de agosto de 2012

O Mar

O mar e o ar

"O mar pode nos afogar
Pode nos inundar
Com o seu rosto azul
Porém não consegue nos separar
Porque o amor respira sobre o mar (...)"
, Orquestra Imperial.

E Benja conheceu um dos meus lugares preferidos no mundo, o mar. Acho que é o lugar (espaço físico) que eu mais amo, os outros, que estão na lista dos melhores lugares do mundo são locais de companhia, de pensamento, de estado de espírito, particulares.

Viemos todos do mar. O mar, a imensidão azul, renova as energias, traz novas possibilidades, nos apresenta um novo mundo e grandes ensinamentos.

Hoje a pessoa que mais amo, mora no mar. Em todo lugar que eu vou e há praia, posso reencontrá-la. Construí com o mar essa relação de amor, de saudades, de confiança, de esperança. Para mim era importante apresentar o mar ao Benjamin. Proporcionar a ele as sensações que esse novo mundo traz.

Experimentar o sol queimando a pele, a areia em contato com os pés, as ondas lambendo as pernas, o sal temperando o corpo.

Eis aqui um breve vídeo de Benjamin conhecendo o mar em 18/08/2012.


video



segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Pediatra e novidades!

Semana passada fizemos uma visita ao pediatra e muitas novidades virão pela frente.
Além das boas notícias sobre o crescimento do Benja, que aos 5 meses e 15 dias pesava 8,420kg e media 69,2cm, recebemos a missão de começar a introduzir outros alimentos, que não leite, na dieta dele!
Fonte: Google

É isso, meu bebezico vai começar a comer!

Ele já andava curioso sobre as coisas que a gente coloca na boca e demonstra, a todo tempo, querer "comer" o que estamos comendo. Agora será dado o primeiro passo para a independência gastronômica dele.

O primeiro estágio será dar suco de laranja lima. A quantidade dos primeiros dias é bem pouca, 3 colherinhas de chá. No segundo dia a quantidade dobra e assim por diante. Ou seja, no terceiro dia passaremos do "suco em colher" para o suco na mamadeira, porque já ofereceremos mais do que 50ml para ele.

Fiquei pensando que além de ter que se acostumar com um novo sabor ele ainda precisará aprender a usar a colher (não sozinho, nesse momento, é claro). Como ele nunca, graças a Deus, precisou usar remédio nunca conheceu uma colher, logo, não sabe o que fazer com ela (leia-se abrir a boca quando ela aparecer na frente dele).

Fora o lance da colher, haverá uma progressão em relação a como alimentá-lo. Os primeiros novos alimentos serão suco de laranja lima e suco de cenoura. Depois de seis dias se adaptando aos sucos entrarão as papas de frutas - mamão papaya e banana nanica - que deverão ajudar a regular o intestino dele. Na sequência entrarão as sopinhas, lá pelo décimo dia após o primeiro suco de laranja.

O médico recomendou, e eu estou de acordo, que a gente priorize - sobretudo na alimentação dele - o consumo de alimentos orgânicos. E foi por isso que resolvi investir em comprar esse tipo de comida. Fui a dois lugares que vendem orgânicos aqui perto de casa, mas em nenhum deles havia laranja lima disponível. Foi aí que resolvi investir em outra opção para fazer a feira: Orgânicos online! Sim minha gente! É possível fazer a feira sem sair de casa. Não que eu não goste de fazer feira, pelo contrário, mas como as feiras que eu frequento não vendem orgânicos, encontrei o pessoal do www.obomverdureiro.com.br .

Entrei no site do O Bom Verdureiro e me cadastrei. Depois disso você deve baixar uma planilha onde constam os alimentos que etão sendo vendidos naquela semana. Achei a variedade de itens bastante boa e os preços não são muito mais caros do que costumo pagar na feira (não orgânica) aqui perto de casa ou na Quitanda. Selecionei os itens que me interessavam e envei por email, como eles orientam no site. Recebi um excelente atendimento.

Logo após fazer o cadastro recebi um email de confirmação e após enviar meu pedido e um email fazendo algumas perguntas prontamente fui atendida. Recebi inclusive uma ligação do pessoal de lá, que se apresentou e explicou todo o sistema de funcionamento da empresa. Fiquei muito impressionada com a qualiudade do atendimento e estou ansiosa esperando meus legumes, frutas e verduras chegarem em casa amanhã. Depois conto para vocês se deu certo e se as coisas são realmente boas!

Achei uma ótima alternativa para quem está começando a alimentar seus bebês ou para quem deseja ter uma alimentação mais natural no dia-a-dia.

E que venham os orgânicos e os sucos, papas e sopinhas de Benja!

Mais novidades em breve!

P.S.: Esse post não é um post pago. É só um relato de uma experiência de compra que estou compartilhando.

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

Trocas - e não é de fraldas que estamos falando

Nos últimos dias, na verdade nas últimas semanas, tenho aprendido como trocar experiências da maternidade é bom. Sempre fui uma pessoa mais reservada em relação aos acontecimentos cotidianos da vida e isso sempre me rendeu boas doses de reflexões doídas sozinha e ansiedade.

Desde que o Benjamin nasceu o dia-a-dia de cuidados com ele têm me tomado boa parte, pra não dizer tudo, dos meus pensamentos, dos meus neurônios. Soma-se a esses pensamentos noites mal dormidas, inseguranças, medos, frustrações, expectativas e pronto! Temos uma bomba-relógio mental armada 24 horas por dia.

Mas eis que uma grata surpresa da maternidade me abriu portas. Aliás, fica a dica, filhos abrem portas, janelas e sorrisos, sempre. E comecei a conhecer melhor algumas mães aqui do bairro. Imagine só, numa cidade como São Paulo, uma moradora de prédio, não muito sociável começa a  fazer amigas do bairro! E tudo isso graças aos pimpolhos e cachorros que se reunem na Pracinha.

São pelo menos 10 mães que se encontram quase que diariamente para banhos de sol em seus pimpolhos e trocas de experiências sobre a vida de mãe. Então todos os dias a gente descobre que não é só a gente que passa por isso ou aquilo, que não é só a gente que tem filho que não dorme, que faz birra, que só gosta de colo. E isso faz um bem danado. E isso ajuda a gente a se construir mais e melhor como mãe. E isso cria relacionamentos futuros para os nossos filhos que deixarão de ser crianças de apartamento, isoladas, para serem crianças de amigos da pracinha, da rua. Isso dá a chance de eles não serem apenas viciados em videogame, como parecem ser todas as crianças dessa nova geração, mas crianças que curtem o sol, amam os bichos, sobem em árvores, empinam pipa, jogam bola, andam de bicicleta, se machucam, brincam e brigam.

A mãe trocar permite ao filho trocar e ter possibilidades de escolhas no futuro. A mãe se abrir abre o filho para o mundo e para um universo mais rico e belo. E que sejam assim as manhãs e tardes de pracinha, com estacionamento de carrinhos de bebês, coleiras, bolas e brinquedos compartilhados!

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Benja já toma leitinho!

Agora a vaquinha é nossa amiga de novo!
Agora é notícia oficial! Passamos pelo teste de provocação da alergia a proteína de leite de vaca (APLV) e finalmente a alergia foi embora!

Foi um processo que demorou semanas a acontecer, com a provocação indireta acontecendo por quase um mês, por meio da liberação do consumo de leite de vaca e derivados na dieta da mamãe aqui e depois de quase 10 dias, reintroduzindo o leite de vaca (por meio de fórmulas) na alimentação gradualmente.

Hoje Benjamin está mamando no peito, animado como sempre, e já toma um leitinho da mamadeira normal e bem mais saboroso!

De todo esse tempo com a alergia e depois o teste ficam alguns aprendizados:

1. O primeiro deles é ter paciência, muita paciência.
2. Os problemas surgem mesmo na vida e a gente tem que ter sabedoria pra encará-los de maneira sempre positiva.
3. Filhos vem com programações especiais adaptadas a cada pai e mãe, de preferência pra ajudarem a trabalhar as nossas próprias dificuldades.
4. Essa coisa de alergia é chata sim, mas passa.
5. A gente pode ter uma alimentação muito mais saudável se a gente parar pra pensar um pouco e começar a ler os rótulos do que a gente consome. Isso eu aprendi com essa alergia e vou carregar para a alimentação dele e minha daqui por diante.


terça-feira, 7 de agosto de 2012

Expectativas

As expectativas dos outros matam, né não gente?
Desde a gravidez que eu percebo como as pessoas são ansiosas em relação aos outros.
Na gravidez as perguntas evoluíram do "quantos meses?" até o "quando nasce?" passando por "é menino ou menina?" repetidas e sempre antecipadamente.
Depois que o bebe nasce entra a questão do peso e do tamanho. O "mama bem?" também é recorrente e até aí a gente pode administrar bem, sem maiores neuras.
Mas quando as pessoas começam a questionar se o bebê já faz isso ou aquilo, se é capaz de dar tchauzinho, virar ou dormir a noite toda, aí o bicho pega. Aí as pessoas começam a depositar expectativas e ansiedades em cima de um bebêzinho. Aí começam as comparações, ansiedades e críticas.
E não é que eu pense que isso não faz parte do mundo, mas que é cruel, é, né?
Por isso sempre me pergunto por qual razão as pessoas fazem isso e com qual intuito?
Por que não somos mais cuidadosos ao inquirir os outros, sobretudo em relação aos filhos? Por qual motivo desejamos comparar o tempo todo?
Fica a reflexão sobre de onde vem essa ansiedade que movimenta o mundo e deixa as coisas sempre mais difíceis.