segunda-feira, 22 de julho de 2013

E se o perigo aparece bem perto de você. Você sabe reconhecer?

A gente tá cansado de ver e ouvir, principalmente nos noticiários, casos escabrosos sobre pedofilia. Mas a bem da verdade a gente nunca acha que isso vai acontecer com a gente, né? (bate três vezes na madeira, isola, sarava!). Acontece que semana passada passamos por uma situação (calma gentes, nada, de fato aconteceu, apenas uma luz aqui se acendeu), que me deixou bastante assustada e foi aí que comecei a ler sobre o assunto e por isso decidi escrever a respeito disso também.

Vou contar o causo, sem dar maiores detalhes ou nomes aos bois porque, como já disse, graças a Deus, nada aconteceu, mas serve como alerta para prestarmos atenção em certos tipos de comportamento de algumas pessoas.

Benjamin é um cara muito simpático. Como regra não estranha ninguém, se dá bem com todo mundo, troca ideia com todos e é conhecido por vizinhos do prédio e pelo pessoal do bairro. Tanto é que sou mais conhecida hoje em dia como "a mãe do Benjamin" do que pelo meu próprio nome.

Um monte de gente oferece coisas pro Benjamin na rua (pão de queijo, bala, refrigerante, bexiga etc) e entre a vizinhança não é diferente. Outro dia um vizinho aqui do bairro, depois de insistir por várias semanas que fossemos a casa dele, nos convidou (a mim e ao Benjamin) para tomar um café e apresentar ao pequeno um instrumento musical diferente que tinha na casa dele. Decidimos aceitar o convite.

Chegando a casa do vizinho, muito cordial, ele nos apresentou o instrumento, lindíssimo, e começou a nos mostrar um monte de bichinhos de pelúcia que estavam espalhados pela casa toda (na verdade por toda a sala). Os bichinhos -  certamente havia mais dez -  tinham nomes próprios, personalidade e histórias de vida. O vizinho então apresentou os bichos ao Benjamin, que nem deu bola a eles, e depois nos ofereceu um lanche e começou a perguntar sobre o que o Benjamin gosta de comer e fazer e tal e coisa. Na hora, fora estranhar o fato de na casa de uma pessoa de seus 60 anos, sem filhos ou netos haver um monte de bichos de pelúcia nada me ocorreu, mas depois algo ficou apitando na minha cabeça.

Tá certo, gente. Não sou, não quero e nem posso julgar ninguém. Cada um sabe "da dor e da delícia de ser o que é", mas que é esquisita uma situação dessas, é, né?

Então fui ler sobre o que é pedofilia e quem são os pedófilos e o que a maioria dos sites mostra é o seguinte (fonte: site do Ministério Público Federal):
  • Qualquer pessoa pode ser um pedófilo. Não importa idade, condição social, raça, sexo, ou nível de instrução.
  • Em geral, os pedófilos são do sexo masculino, mas há mulheres pedófilas também.
  • O pedófilo costuma ser uma pessoa "acima de qualquer suspeita", muitas vezes, alguém próximo a família, um parente, amigo, professor, vizinho. Sempre é aquela pessoa que se dá bem com a criança e se interessa por elas.
  • A casa dos pedófilos sempre é atrativa às crianças. Possuem vários objetos, jogos, guloseimas para agradar crianças e adolescentes.
  • Gostam de ficar sozinhos com crianças ou adolescentes, sendo muito atenciosos e sedutores.
  • Gostam de fazer “amizade” com crianças e adolescentes.
  • Sempre procuram agradar suas vítimas com presentes, elogios e promessas.
  • Procuram fazer carinho nas partes íntimas de crianças e adolescentes.
  • Sempre pedem para guardar segredo e nunca contar nada a ninguém sobre seus  comportamentos.
  • Às vezes, ameaçam a criança/adolescente, algo ou alguém de que goste muito, caso não ceda às suas vontades. (aqui quando o abuso já acontece)
  • Pedem para filmar ou tirar fotos de criança/adolescente, com pouca ou nenhuma roupa e pedem para fazer poses sensuais. (aqui quando o abuso já acontece)
A pedofilia é crime. Deve e precisa ser denunciada. Ela acontece no ambiente online e off-line também. Por isso, se você tomar conhecimento de um caso de pedofilia, denuncie. Fique atento. Aqui neste link você pode baixar a cartilha elaborada pelo Ministério Público Federal.
 

5 comentários:

  1. Bom, você me conhece um pouco, né? Sabe que sou bem tranquilona, simpática, de fácil amizade...mas vou te confessar uma coisa. Com relação a Manu eu sou a pessoa mais desconfiada do universo. Desconfio de todo mundo que vem muito cheio de sorrisos para a Manu (gente que não é amiga) e nem incentivo a simpatia da Manu com gente estranha. Parece coisa de gente neurótica, mas prefiro assim. Você está certinha de ter levantado a antena da atenção. No seu lugar, faria o mesmo e sem o menor remorso em estar pré julgando. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Thais, esse video é otimo pra mostrar para as crianças http://www.youtube.com/watch?v=sEpqTs7syOc
    Com certeza o perigo está em toda parte...

    Beijos ;)

    ResponderExcluir
  3. Dê, eu sou desconfiada, mas nunca pensei numa coisa assim, tão perto da gente, sabe?
    Medo.

    ResponderExcluir
  4. Paola, muito legal o vídeo mesmo! Vou publicar no FB também! Obrigada pela dica!

    ResponderExcluir
  5. Tha, é bem delicado isso... situação estranha!
    Um dia estava voltando de SP de avião, o meu mais velho qeria ver a janela e estávamos sentados no corredor (ele ainda de colo). O cara que estava na janela falou: vem ver no colo do tio! Eu, claro não deixei, e o cara fez a maior cara feia... se estivesse bem intencionado teria oferecido para trocar de lugar, eu penso.
    Situação estranha também! Bjs

    ResponderExcluir

Deixe sempre sua mensagem aqui.